Mostrando postagens com marcador Cabelos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Cabelos. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 4 de julho de 2017

Resenha | Banho de brilho/Tonalizante vegano da Avora



No ano passado eu resolvi voltar a fazer luzes no cabelo e desde então tenho apenas retocado a raiz. Nesse meio tempo, o comprimento do cabelo tende a desbotar, amarelar e perder um pouco o brilho. Dessa forma, o recomendado é usar produtos roxos para retirar tons amarelados ou produtos como tonalizantes/banho de brilho. 

Vi que a Avora tinha se tornado uma empresa cruelty free e vegana (de acordo com o texto abaixo) e encontrei o banho de brilho na cor platina aqui em Belo Horizonte para vender por mais ou menos R$23 e comprei para testar.  

Resposta do SAC:

"Eliana bom dia

Todos os componente são de origem vegetal. Também não fazemos testes dos nossos produtos em animais, por respeito ao mundo e a vida. Os fornecedores de matéria prima também não efetuam testes em animais.

Nossa preocupação é que esses testes sejam proibidos e banidos de toda a cadeia industrial da área de cosméticos. Infelizmente, não são todas as empresas que prezam por esse respeito e por essa conduta.

Os produtos da Avora há mais de 10 anos, são todos de origem vegetal. A proteína do leite utilizada, vem de uma árvore chamada Amapazeiro.
Att.
Sac Avora Cosméticos
sac@avoracosmeticos.com.br"

Além dessa resposta, a empresa afirma ser vegana no site: http://www.avoracosmeticos.com.br/dicas/3883/




Para usar o tonalizante, lavei o cabelo com shampoo, retirei a umidade e apliquei no cabelo inteiro. Deixei por 30 minutos e enxaguei. Usei aproximadamente 1/5 do frasco, mas quem tem menos cabelo, vai poder usar mais vezes.

O resultado foi esse abaixo, não mudou muito a cor. Como meu cabelo não é muito claro e tem luzes, a parte castanha natural não mudou, mas as mechas descoloridas ficaram um pouco mais claras e menos amareladas. Em algumas regiões do cabelo, ele ficou bem branquinho.

Gostei muito do resultado, achei que o cabelo ficou mais brilhoso e macio, não ressecou e o produto rende bastante.



Composição:

terça-feira, 21 de março de 2017

Resposta do SAC | Colorações da Keune


Enviei um e-mail à Keune Internacional questionando a política de testes em animais e se vendiam na China atualmente. Responderam que não vendem na China e não realizam testes em animais, bem como seus fornecedores. Além disso, informaram que a linha "So Pure" era totalmente vegana com a exceção de um produto (coloração 3000), conforme e-mail abaixo. E caso eu quisesse saber se um produto específico era vegano, bastava perguntar: 


"Dear Eliana,

Thank you for your email.

We do not test our products on animals nor do we sell our products to China. Attached a statement.

The 'Keune So Pure Natural Balance' product line is vegan-friendly.

In the remaining Keune product lines several vegan-friendly products are available.
Unfortunately we don't have a single overview with all Vegan-friendly products.
There are two ways to get further informed on the ingredients used in our products:

1. Together with the cosmetic product a declaration of the used ingredients is presented on the packaging. These ingredients are listed by their INCI names (International Nomenclature Cosmetic Ingredient). This way you are able to check for yourself, which materials were used in the product.

2. Or please inform us on what type of product you are interested in? And we will perform a specific search for you.

Hope this information will help you further on. Please let us know in case of additional questions or requests."





Perguntei sobre as tintas da Keune, quais eram adequadas para veganos. Segue a resposta:





"Dear Eliana,

Thank you for your email.

Semi Color (24xxx); Keune Color Man all shades (1600x) are vegan-friendly.


Tinta Color all shades (26xxx) are not vegan friendly (including the Tinta Color Ultimate Blonde range). This range contains a natural silk protein.


The 'Keune So Pure Color' product line (28xxx) is vegan-friendly with one exception.

After the date of 16 Jul 2015 we have introduced a new product within the So Pure Color range.

This concerns the So Pure Color no. 3000 (28030). This product contains Beeswax and is not vegan-friendly.

Magic Blonde (16423) is not vegan friendly, because it contains Serica (Silk Powder).

Cream Bleach (16424) is vegan-friendly.

So Pure Color Blonde Lift Powder (23351) is also vegan-friendly.


Please be aware that the above answers are based on our current portfolio.
In practice their might be still products present in the market, which are no longer part of our portfolio, have been reformulated over time, or new products might be launched after this date.
The INCI declaration on the packaging gives you the opportunity to double check which ingredients were used.
Hopefully the above answers will help you further on.

Please feel free to contact us again for additional questions or comments."




Algumas das colorações contém proteína da seda e cera de abelha (destacado em vermelho acima). Conforme a resposta do SAC, essas colorações não possuem ingredientes de origem animal:



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Como cuidar dos cachos com produtos veganos?


Oi oi gente, tudo bem com vocês? O meu nome é Raysa, eu escrevo para o blog Cacheia. Estou invadindo o Beleza Vegana, porque a orkuteira que existe em mim não pode morrer jamais! Haha
Brincadeiras a parte, pedi um espacinho do blog para Eliana, para compartilhar dicas com vocês de como cuidar dos cachinhos e do cabelo crespo sendo vegana. No início, achei que seria bem difícil, porque além de cacheada, eu sigo a técnica low poo, então não uso nada de petrolatos no cabelón, nem shampoos com sulfatos fortes. A surpresa boa é que descobri que é mais simples do que parece, e que além das receitas caseiras, a oferta de cosméticos veganos só aumenta! Hell, yeah!


O que são as técnicas low/no poo?
Provavelmente, você já ouviu falar em low/no poo por aí! Essas técnicas se tornaram uma febre, e foram desenvolvidas por Lorraine Massey. O objetivo é diminuir ou acabar com os impactos negativos causados pelo shampoo no nosso picumã. A técnica low poo substitui o uso de shampoos fortes por shampoos com sulfatos mais leves. Já o no poo abole o uso de shampoo e propõe a higienização dos fios com condicionador.
Os sulfatos que são usados normalmente nos cosméticos são agentes de limpeza profundo, que ressecam os fios retirando a oleosidade natural do cabelo. A indústria acrescenta esses sulfatos porque são os únicos capazes de retirar os derivados do petróleo. Petrolatos, como parafina líquida e óleo mineral, são ingredientes abundantes e baratos, que deixam o cabelo com aparência de bem cuidado. No entanto, não são capazes de oferecer nenhum tratamento real aos fios.
Essa é uma explicação bem resumida das técnicas, mas já adianto que o cabelo não fica sujo não! Na verdade, deixa os fios bem limpos e hidratados, shining bright like a diamond. São técnicas muito recomendadas para os cabelos cacheados e crespos, que costumam ser mais ressecados que os naturalmente lisos. Claro que ninguém é obrigada a seguir só porque tem cabelo crespo/cacheado, até porque não dá certo para todo mundo, e faz bem para lisas também. Mas se você quer saber mais sobre no e low poo, recomendo os grupos no facebook: No/Low Poo Vegano e Rotina Saudável.


Como manter os cachos hidratados no dia-a-dia
Existem várias formas de hidratar os cachinhos, dependendo da sua disponibilidade, preferências pessoais e da sua rotina.


1. Cronograma capilar
O cronograma capilar é uma forma de cuidado dos fios em forma de agenda. O objetivo é o de devolver os nutrientes ao cabelo que são perdidos no dia-a-dia. O cronograma é dividido em três etapas:
  • Reconstrução: que devolve as proteínas ao cabelo;
  • Nutrição: que nutre os fios com óleos vegetais e
  • Hidratação: que repõe a água, sais minerais e vitaminas.
Nós criamos alguns modelos de cronograma capilar no Cacheia. Você não precisa seguir esses, com o tempo pode compreender melhor as necessidades dos seus fios e aprender qual etapa o seu cabelo precisa.
cronograma-capilar-para-cabelos-saudáveis-cacheia.png

cronograma-capilar-para-cabelos-pouco-danificados-cacheia.png

cronograma-capilar-para-cabelos-danificados-cacheia.png

A Eliana já fez um post lindjo com dicas aqui no Beleza Vegan de máscaras veganas para seguir o cronograma capilar. Além das dicas maragold dela, também recomendo algumas máscaras que são ótimas para cabelos crespos e cacheados. Ainda, você pode batizar máscaras baratinhas com ingredientes caseiros.


Reconstrução
Hidratação
Nutrição
  • Máscara Capilar Reconstrutora Arte dos Aromas (no poo e low poo)
  • Máscara Kanechom mix fruit (low poo).
  • Phytoervas Coco Hidratação intensa (low poo).
  • Máscara Kanechom linha low poo (no poo e low poo).
  • Máscara Vegan, da Inoar (low poo e no poo).
  • Máscara Botica BioExtratus Cachos (low poo e no poo).
Ingredientes caseiros: vinagre de maçã; aquafaba;
Ingredientes caseiros: glicerina vegetal; aloe vera; babosa;
Ingredientes caseiros: qualquer óleo vegetal; de soja, azeite de oliva, de coco, etc.


2. Receitas Caseiras
Particularmente, o meu jeito preferido de cuidar do picumã.  As receitas caseiras podem ser feitas a base de leite de coco, amido de milho, glicerinas vegetais, cenoura e beterraba, entre muitos outros ingredientes malucos. Mas não diminua a importância, apesar de feitas no conforto da sua casa, não possuem derivados animais e os resultados são tão incríveis como os de máscaras!


Dicas para o pré-poo
Pré poo é tudo para o hair! Se você não quer fazer low ou no poo, nem gastar muito tempo com receitas caseiras ou cronograma capilar, pode fazer o pré poo. O pré poo são tratamentos bem rápidos, the flash mesmo, que você faz antes de lavar o cabelo com shampoo. A ideia é usar produtos e ingredientes baratinhos, em abundância no cabelo por 5 a 10 minutinhos. Para um pré poo vegano, você pode usar:


  • Óleo de soja ou girassol (low poo e no poo);
  • Máscara Kanechom mix fruit, ou antifrizz, ou hidratação e força, ou gloss ou aloe vera (low poo);
  • Novex no poo (no poo e low poo);
  • Glicerina vegetal pura (apenas quando a umidade relativa do ar estiver acima de 80%!!!!!!)

Hora da lavagem: encontrando bons shampoos
shampoo-suave-kanechom-low-poo-vegan-cachos.jpg

Eu uso shampoos com sulfatos fracos, então não conheço shampoos “comuns” para indicar para vocês. Is it too late now to say sorry? No entanto, mesmo se você não seguir as técnicas, são excelentes shampoos, com ótimas composições e qualidade!
Recomendações de shampoos para cabelos cacheados e crespos:
  • Shampoo BioExtratus  Botica Cachos - Low poo
  • Shampo Inoar Vegan - low poo
  • Kanechom Low poo
  • Phytoervas Revitalização e Brilho - low poo


Co-wash
O co-wash, a lavagem com condicionador, é normalmente usada por quem segue as técnicas no ou low poo. No entanto, pode ser usado por qualquer um com cabelo crespo ou cacheado! O co-wash limpa os fios sim, mas não pode ser feito com qualquer condicionador. Para funcionar como agente de limpeza, precisa ser utilizado um cosmético sem petrolatos ou silicones insolúveis.
Dicas de produtos para co-wash:
  • Yamasterol babosa ou proteína hidrolisada ou argan (amo!)
  • BioExtratus Botica Cachos Co-wash
  • PhytoErvas Condicionador Anti-queda
  • Máscara Kanechom Low Poo


Lacrando na finalização
Enfim, a parte mais importante para um cabelo lacratop crespo ou cacheado: finalização! Para finalizar os cachin, recomendo os produtos:


  • Yamasterol babosa ou proteína hidrolisada ou argan (também dá muito certo como creme de pentear!)
  • Lola Cosmetics, meu cacho, minha vida (low poo e no poo).
  • BioExtratus Botica Cachos - Finalizador & gelatina (low poo e no poo).
  • Kanechom Creme de Pentear Low poo (low poo e no poo).
  • Inoar Creme de Pentear Vegan (low poo e no poo).
  • Kanechom Leave in Mix Fruit - Revitalizador (low poo)




Dicas extras: confiram a categoria de cabelos aqui do Beleza Vegana! É lindja demais! 
Espero que tenham gostado do post, gatezas! Se tiverem qualquer dúvida, é só perguntar :D Beijinhos, #govegan

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Produtos veganos para cabelos loiros


No final do ano passado resolvi fazer luzes e pesquisei bastante sobre produtos veganos para descoloração, tintura e manutenção. Não é das coisas mais fáceis de se encontrar, mas estes são os produtos que tenho usado e gostado atualmente:






1. Água oxigenada e pó descolorante da Inoar (Color System).

Os 2 não contém ingredientes de origem animal (mas a tintura contém queratina) e são bem acessíveis. O pote de água oxigenada com 80 ml custou cerca de R$4 e o pó descolorante com 300 g custou R$25. 

Composição da água oxigenada

Composição do pó descolorante


2. Olaplex - passos 1 e 2.

Para garantir que meu cabelo não ficasse detonado com a descoloração, resolvi investir nos passos 1 e 2 de Olaplex. Comprei fracionado pelo Mercado Livre por cerca de R$160, que dura mais ou menos 5 aplicações dependendo de quanto pó descolorante será usado (o valor do kit full size é bem mais caro) e levei no salão para que a cabeleireira misturasse com a ox e o pó descolorante. 

De acordo com o site e a resposta do SAC, eles não contém ingredientes de origem animal nem estão envolvidos com testes em animais. Para saber como se usa, o site do Brasil explica direitinho.

Gostei muito do resultado e a minha cabeleireira ficou impressionada como o meu cabelo ficou sedoso e não danificou após as luzes bem clarinhas. No entanto, o tempo de descoloração durou bem mais que o normal, segundo ela. 


Problemas típicos de quem tem gato carente em casa


1. Shampoo Bleach Blondes da Lee Stafford.

De acordo com a resposta do SAC da Lee Stafford, esse shampoo é vegano.

Eu já testei vários shampoos desamareladores e esse é de longe o melhor, na minha opinião. Ele deixa os fios mais branquinhos, não resseca e tem um cheiro ótimo. O preço não é muito convidativo (cerca de R$45 por 250 ml), mas eu uso 1 vez por semana.




2. Shampoo seco Light & Blonde da Batiste

O shampoo seco da Batiste para cabelos claros/loiros tem uma coloração amarelada e disfarça a raiz escura. Gosto muito de como ele segura a oleosidade até o dia seguinte. É só borrifar pequenos jatos na raiz e massagear com os dedos para espalhar.  

Tenho a raiz do cabelo super oleosa e se eu fico 2 dias sem lavar o cabelo, percebo um aspecto ensebado. Já testei o shampoo em pó da Lush e fiz um DIY com amido de milho e bicarbonato, mas não gostei do resíduo que deixa no couro cabeludo. Isso não ocorre com os shampoos da Batiste, que tem selo vegan & cruelty free. Custa cerca de R$35 por 200 ml.

Cabelo oleoso antes

Cabelo após usar shampoo seco da Batiste

Composição shampoo seco da Batiste


3. Violeta genciana da Farmax

Conforme a resposta do SAC da Farmax, a empresa não realiza testes em animais. 

A violeta genciana pode ser encontrada em farmácias por cerca de R$3 e se usa algumas gotinhas misturada em água ou creme branco hidratante para tirar o amarelado de cabelos loiros. A quantidade depende do quão acinzentado preferir mas precisa tomar cuidado para o cabelo não ficar roxo e não manchar as mãos ou as roupas. Geralmente uso 3 gotas em 1 litro de água de deixo agir por 3 minutos antes de lavar com shampoo e máscara. Como ela costuma ressecar o cabelo, também dá certo se misturar 2 gotas em 1 colher de chá de máscara e deixar agir por alguns minutos no cabelo antes de enxaguar. 

Obs: Eu fiz um furinho na tampa para deixar passar gotas ao invés de virar o portinho e acabar zuando tudo!


4. Queratina líquida da Riquezas da Terra

Essa queratina é obtida por cabelo humano e portanto é vegana. Comprei no site da Riquezas e paguei R$14,90 por 120 ml. 

A queratina é importante para reconstrução de cabelos descoloridos. A queratina vegetal geralmente é composta de proteína do trigo, milho e soja, mas nas concentrações encontradas em produtos mais baratos, nem sempre é capaz de reconstruir cabelos danificados.

Para usar é só diluir na água, máscara ou condionador neutro na concentração máxima de 2,5% (cerca de 0,75 ml de queratina para 30 ml de creme/água) e deixar agir por 10-15 minutos. O cabelo fica com um aspecto áspero no dia, mas na próxima lavagem volta ao normal. Tenho usado a cada 15 dias, mas a frequência depende do quanto o cabelo está danificado.

Obs: observe se a máscara já não possui queratina na composição e prefira uma máscara de hidratação ou nutrição, que contenha boa concentração de óleos vegetais..

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Resposta do SAC | KANECHOM

Estão vendo como as empresas se adaptam ao perfil do cliente e suas solicitações? Fonte: Facebook
A Kanechom é uma empresa de cosméticos bastante acessível daqui de Belo Horizonte e lançou há poucos meses uma linha "Low Poo", a qual é isenta de silicones insolúveis, petrolatos e sulfato. O grande diferencial da empresa é praticar preços baixos, como shampoos de 350 ml a R$7 e máscaras de 1 kg a R$8.

É importante lembrar que a Kanechom NÃO é uma empresa vegana, ou seja, vários de seus produtos contém ingredientes de origem animal, como leite de cabra, ceramidas, queratina, colágeno, elastina etc. 

A minha pergunta foi especificamente sobre a linha low poo/nutritivo: 

"Gostaria de saber se os produtos da linha low poo da KANECHOM possuem ingredientes de origem animal. A glicerina usada é de origem animal ou vegetal?" 

Essa primeira resposta contemplou apenas a linha LOW POO / NUTRITIVO:

Composição do shampoo: Aqua (Water), Disodium Laureth Sulfosuccinate, Sodium Cocoamphoacetate, Lauryl Glucoside, PEG-150 Distearate, Cocamide DEA, Parfum, Citric Acid, Glycerin, Helianthus Annuus Seed Oil, Cocos Nucifera Oil, Methylchloroisothiazolinone/ Methylisothiazolinone, Linum Usitatissimum Seed Oil, Camellia Sinensis Leaf Extract, Argania Spinosa Kernel Oil, Macadamia Ternifolia Seed Oil, Olea Europaea Fruit Oil, Persea Gratissima Oil, Mentha Piperita Leaf Extract, Potassium Sorbate, Sodium Benzoate, Rosmarinus Officinalis Leaf Extract. 

Composição da máscara: Aqua (Water), Cetearyl Alcohol, Cetrimonium Chloride, Cetyl Alcohol, Parfum, Ceteareth-20, Dicocoylethyl Hydroxyethylmonium Methosulfate, Propylene Glycol, Citric Acid, Disodium EDTA, Glycerin, Helianthus Annuus Seed Oil, Cocos Nucifera Oil, Linum Usitatissimum Seed Oil, Me thylch lor o iso t h iazol inone /Methylisothiazolinone, Camellia Sinensis Leaf Extract, Argania Spinosa Kernel Oil, Macadamia Ternifolia Seed Oil, Olea Europaea Fruit Oil, Persea Gratissima Oil, Mentha Piperita Leaf Extract, Potassium Sorbate, Sodium Benzoate, Rosmarinus Officinalis Leaf Extract. 

Perguntei em outra oportunidade sobre os testes e as outras linhas e essa foi a resposta:

Quando questionei sobre o uso de colágeno e elastina nessas linhas, a resposta foi a seguinte:


Como ficou claro pela resposta, a linha Nutritivo/Low Poo lançada recentemente é vegana. Os lotes dos produtos antigos das linhas: Hidratação Completa, Cachos Disciplinados, Fortificante, Kids e Revitalizador ainda contém ingredientes de origem animal. Os novos produtos dessas linhas, segundo o SAC da empresa não contém. Por isso, antes de comprar, verifique o rótulo. Caso encontre na composição: "Hydrolized Collagen", "Hydrolized Keratin" ou "Hydrolized Elastin", o produto não é vegano.

Para saber onde encontrar na sua cidade, veja esse link.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Resenha | Shampoo Controle de Oleosidade da Phytoervas



Tenho a raiz do cabelo oleosa, cabelo escorrido na testa e ainda costumo sair da academia com a cabeça encharcada de suor. Apesar disso, as pontas do cabelo são um pouco ressecadas e encontrar um shampoo que limpe bem o cabelo, controle a oleosidade por mais de um dia, não resseque muito as pontas e seja acessível é um desafio. 

Eu também procuro ser adepta da técnica de "Low Poo", que é tentar usar produtos isentos de sulfatos, petrolatos e silicones insolúveis em água. Este shampoo de gengibre da Phytoervas se enquadra nesses requisitos: ele não tem sal, sulfatos, corantes, parabenos, petrolatos e silicone insolúvel em água.

Na composição do shampoo contém: 

- extratos de gengibre, menta, alecrim, limão e sálvia (responsáveis pela limpeza do couro cabeludo, ajudando a controlar a oleosidade)
- cereais integrais de trigo, quinoa e linhaça (responsáveis para potencializar a nutrição e restauração do cabelo)

A fragrância predominante dele é de menta e alecrim. A textura é bem viscosa e ele é transparente. 

Para lavar, uso pouco mais de um tamanho de uma moeda de 1 real e eu percebo que rende bastante. Repito o processo 1x. Apesar de não conter sulfato, ele faz bastante espuma. Eu também sinto que a menta e o alecrim agem no couro cabeludo aumentando a sensação de refrescância e estimulando a circulação sanguínea. Esse efeito é muito agradável, principalmente no calor e usando água mais fria (por que esse outono não chega nunca?). 

Depois de seco, sinto o cabelo "esvoaçante" (HAHA) e brilhoso. Apesar de não ressecar excessivamente como um shampoo normal para cabelos oleosos, percebo que se eu não aplicar uma máscara ou um bom condicionador, as pontinhas ficam um pouco ressecadas. Outra coisa que eu faço é aplicar esse shampoo na primeira lavagem e um shampoo mais hidratante na segunda lavagem. Também não dispenso um leave in nas pontas. Dessa forma, o cabelo fica hidratado e maleável.

Pelo menos em mim, depois de umas 2 ou 3 semanas de uso, ele controlou melhor a oleosidade da raiz do cabelo por mais de um dia, mas volta a ficar oleoso após 2 dias sem lavar.

Em comparação ao shampoo anti-resíduos da Phytoervas (falei dele aqui), percebo que o anti-resíduos resseca menos o cabelo, mas não segura a oleosidade por mais de um dia como esse conseguiu controlar.

A Phytoervas não testa em animais e indica no rótulo quando o produto não contém ingredientes de origem animal:


Ingredientes: Aqua, Sodium Lauroyl Methyl Isethionate, Cocamidopropyl Betaine, Glycerin, Sorbeth-450 Tristearate, PEG-9 Cocoate, PEG-32 Distearate, PEG-175 Distearate, PEG-8 PG-Coco-Glucoside Dimethicone, Achillea Millefolium Extract, Zizyphus Joazeiro Bark Extract, Citrus Limon Fruit Extract, Salvia Officinalis Leaf Rxtract, Mentha Arvensis Leaf Extract, Rosmarinus Officinalis Leaf Extract, Quillaja Saponaria Bark Extract, Butylene Glycol, Allium Sativum Bulb Extract, Silanediol Salicylate, Triethanolamine, Polysilicone-3, Zingiber Officinale Root Extract, Guar Hydroxypropyltrimonium Chloride, Triticum Aestivum Germ Extract, Linum Usitatissimum Sees Extract, Chenopodium Quinoa Seed Extract, Disodium Edta, Citric Acid, Methylchloroisothiazolinone, Methylisothiazolinone, Parfum.


O shampoo custou cerca de R$15 e pode ser encontrado em supermercados, perfumarias ou em lojas virtuais como Ikesaki. Lojas Rede etc.